Governo do Estado premia as escolas públicas estaduais com os melhores indicadores

_DSC1206

As escolas do interior foram o destaque do Prêmio Escola de Valor 2013, concedido pelo Governo do Amazonas às melhores notas no Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado do Amazonas (Ideam). Pelo menos cinco delas ficaram entre as três primeiras colocações nas quatro categorias do prêmio, entregue na manhã desta quarta-feira, 2 de outubro, pelo governador Omar Aziz.

A Escola Estadual Balbina Mestrinho, de Novo Airão (a 115 quilômetros de Manaus), ficou em 1º lugar na categoria Ensino Fundamental Anos Finais (6 º ao 9 º ano), com média 6,6, e  a Escola Sérgio Rufino de Oliveira, de Carauari (a 787 quilômetros de Manaus), ficou em 1º lugar na categoria Educação de Jovens e Adultos, com média 5,9.

“Esse prêmio é um estímulo para que outras escolas também sigam o mesmo caminho, assim como os investimentos que estamos fazendo para melhorar as condições de ensino também são”, disse o governador, ao afirmar que tanto o interior quanto a capital têm recebido atenção especial do Governo do Estado na educação.

“Estamos construindo nesse momento escolas de tempo integral em 13 municípios e outras nove estão em licitação, perfazendo um total de 22”, completou, antes de entregar os cheques simbólicos aos gestores das escolas vencedoras, em solenidade no auditório Eulálio Chaves, no campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Durante o evento, foram entregues premiações que somam R$ 8,2 milhões para as 150 melhores escolas da capital e do interior. Outro destaque do interior foi a Escola Estadual Nazaré Varela, de Carauari, que obteve nota 7,8 e ficou em 2º lugar na categoria Ensino Fundamental Anos Iniciais (1º ao 5º ano). Na mesma categoria, a Escola Estadual Jacinto Ale, de Boca do Acre (a 1.028 quilômetros de Manaus), obteve média 7,5 e ficou em 3 º lugar. Na capital, a Escola de Tempo Integral Santa Terezinha ficou em 1º  lugar no Ensino Fundamental Anos Iniciais, com média 7,9, e o Colégio da Polícia Militar foi o melhor do Ensino Médio, com média 7,1.

Para o gestor da escola Balbina Mestrinho, de Novo Airão, José Sidney Brandão, que arrematou R$ 150 mil em premiação, o segredo do sucesso é a união das três esferas: escolas, alunos e pais. “Em primeiro lugar, tem que ter o comprometimento dos professores e a responsabilidade dos pais. Escola tem que ter disciplina, acima de tudo”, disse.

Este ano, 150 escolas estaduais, sendo 94 do interior e 56 de Manaus receberam premiação que variam de R$ 20 mil até R$ 150 mil por alcançarem as metas estabelecidas pelo Ideam. O índice determina prêmio de R$ 50 mil para a escola que alcançar a média e de R$ 20 mil para as que obtiveram crescimento nos seus indicadores.

Segundo o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares da Silva, os critérios do Ideam são os mesmos do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Ministério da Educação. Ele ressaltou que em novembro próximo iniciam as avaliações da Prova Brasil 2013, que vai definir as notas do Ideb do ano que vem, e garantiu que as expectativas são muito boas para as escolas do Amazonas. “A próxima avaliação vai mostrar ao Brasil o quanto estamos melhorando na nossa educação”.

Os prêmios concedidos às escolas são geridos e aplicados pelas Associações de Pais em Mestres (APMCs) em ações que gerem benefícios à comunidade escolar, tais como: investimento em melhorias de infraestrutura, aquisição de materiais pedagógicos, qualificação técnica dos educadores, dentre outras iniciativas.

Progressão Vertical deve ser encaminhada na próxima semana à ALE-AM

O governador Omar Aziz afirmou que pretende encaminhar até a próxima semana à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEA-M) mensagem com alterações à Lei Estadual 2.871/2004 que definiu o Plano de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR) dos profissionais da Educação no Amazonas, o que vai permitir que professores tenham direito à progressão vertical na carreira. O PCCR atual não prevê o número de vagas em cada cargo, condição exigida pela Lei de Responsabilidade Fiscal para que a progressão seja possível.

O governador disse que aguarda as alterações para autorizar a progressão e lembrou que lançou, recentemente, um amplo programa de formação que vai oferecer pós-graduação aos professores. “Determinei também que a Secretaria de Educação criasse um modelo para que nós pudéssemos oferecer especialização a todos os professores e, neste momento, 6 mil profissionais irão fazer pós-graduação para que possam, futuramente, crescer na carreira”, explicou o governador.

Segundo Omar Aziz, a valorização profissional tem sido um dos mecanismos lançados pelo Governo do Amazonas para melhorar o nível da Educação do Estado. No mês de julho, 4.250 professores estaduais obtiveram reajuste com a progressão horizontal, cujas normas também foram definidas por decreto assinado pelo governador. “Além da progressão, tenho garantido reajuste anual na data-base da categoria e hoje temos um dos melhores salários do Brasil”, concluiu.

Fonte: Agecom

Seguir @ no Twitter.